Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
LEGO Braille Bricks: a brincadeira é construir palavras em Braille

LEGO Braille Bricks: a brincadeira é construir palavras em Braille


LEGO e Fundação Dorina Nowill para Cegos se unem para reinventar a alfabetização das crianças cegas e com baixa visão.

O Grupo LEGO e a Lego Foundation anunciaram ontem (24 de Abril)  o suporte ao projeto Braille Bricks, idealizado pela Fundação Dorina Nowill para Cegos em parceria com a agência LewLara. A criação consiste em customizar  peças de LEGO para que as letras do alfabeto em Braille sejam representadas, de forma que se torne possível escrever com LEGO.

Crianças brincando com o piloto do LEGO Braille Bricks na Fundação Dorina (Foto: Anna Carvalho)

O Braille Bricks foi levado para a LEGO Foundation pela primeira vez em 2011 pela Associação Dinamarquesa, e em 2017 pela Fundação Dorina. O projeto foi desenvolvido em acordo com associações da Dinamarca, Brasil, Reino Unido e Noruega, onde estão sendo realizados os primeiros testes de conceito.

O mais interessante do projeto é que não só estimula a alfabetização, mas o seu formato também impulsiona a convivência inclusiva. O Prof. Dr. Klaus Schlünzen Jr. , da UNESP, fala sobre a implementação do projeto piloto em escolas públicas das regiões de Presidente Bernardes e Franco da Rocha: “Nunca vi um projeto que tivesse o conceito de inclusão na sua essência, onde tivesse professores e alunos com e sem deficiência trabalhando juntos.” Esse processo incluiu crianças cegas, de baixa visão e videntes e os resultados servem de referência para o país e para a própria LEGO. A Fundação Dorina e a UNESP se associaram no ano passado para dar início ao projeto piloto.

A importação e distribuição do LEGO Braille Bricks deve iniciar em 2020 através da associação dos kits à metodologia de educação inclusiva desenvolvida pela UNESP. A Fundação Dorina busca apoiadores e investidores para viabilizar a capacitação de professores e a distribuição dos kits em escolas públicas gratuitamente.

Essa inovação chegou quando necessária, já que o Braille tem sido desvalorizado pelos deficientes visuais em virtude da alta tecnologia disponível. Philippe Chazal, tesoureiro da União Europeia para Cegos, afirma que “entendemos que as pessoas que usam o Braille com mais frequência são mais independentes, possuem um nível mais alto de educação e melhores oportunidades no mercado de trabalho”, por isso, todo e qualquer estímulo ao ensino e aprendizagem do Braille é digno de valorização e investimento.

O Braille Bricks surgiu em um momento importante, no ano do centenário do nascimento de Dona Dorina Nowill, criadora da Fundação para o Livro do Cego no Brasil, atual Fundação Dorina Nowill para Cegos. Dona Dorina ficou cega aos 17 anos de idade e foi a primeira aluna cega a frequentar um curso regular no Brasil. Nascida em 1919 em São Paulo, ela criou a fundação em 1946 quando, ao voltar do curso de especialização feito nos Estados Unidos, percebeu a carência de livros em Braille no Brasil. Ela faleceu em agosto de 2010, aos 91 anos de idade.

O Grupo LEGO é uma empresa dinamarquesa privada que atua no mundo inteiro com seus blocos de montar que estimulam a criatividade, o pensamento lógico e a imaginação das crianças. Eles querem inspirar os construtores do amanhã, objetivo que compartilham com a LEGO Foundation, que visa equipar, inspirar e ativar as crianças para o “brincar”, que é redefinido pela Fundação para recriar o aprendizado.

0 Comentários

Tags mais acessadas