'Doctor Who': Relembre cinco episódios icônicos da série
Menu & Busca
‘Doctor Who’: Relembre cinco episódios icônicos da série

‘Doctor Who’: Relembre cinco episódios icônicos da série

Home > Entretenimento > Cinema e Séries > ‘Doctor Who’: Relembre cinco episódios icônicos da série

Doctor Who é uma série de ficção científica britânica que existe desde os anos 60 e possui uma grande legião de fãs até hoje, com mais de 26 temporadas, sendo 12 delas da série atual.

Ela conta a história do Doutor, um alienígena que viaja em sua máquina do tempo, a Tardis (acrônimo de Time And Relative Dimension In Space – Tempo e Dimensão Relativas no Espaço, em português), que se assemelha a uma cabine telefônica azul encontrada na antiga Londres. Com a ajuda de muitos companheiros e muitas faces diferentes, o Doutor viaja por todo o universo em aventuras que deixa qualquer um intrigado com a história.

A técnica de fazer com que o elenco sempre mude (incluindo o personagem principal) fez com que a série se mantivesse fresca por muitos anos, trocando os ares cada vez que uma nova temporada chegue.

A habilidade do Doutor viajar no espaço e tempo abriu a oportunidade de abordar vários assuntos e eventos históricos de uma maneira divertida e lúdica, o que rendeu vários episódios icônicos que todo fã de Doctor Who lembra com todo carinho.

Doctor Who
Relembre cinco episódios icônicos de Doctor Who. | Foto: Reprodução.

Episódios icônicos de Doctor Who

5 – The Empty Child e The Doctor Dances

Depois de seu retorno épico em 2005, com Christopher Eccleston como Doutor e Billie Piper no papel da tão amada Rose Tyler, a série mostrou que Doctor Who estava melhor que nunca, com dois episódios duplos na primeira temporada.

The Empty Child e The Doctor Dances (9º e 10º episódios, respectivamente) contam a história de como o Doutor caiu em Londres no meio de um bombardeio alemão durante a Segunda Guerra Mundial após seguir um objeto sinalizado como perigoso no vórtex temporal.

Eles se encontram com um grupo de crianças sem-teto que estão sendo perseguidas por uma criança com uma máscara de gás que pode manipular equipamentos de comunicação, como telefones e rádios, e sempre está dizendo “Você é minha mamãe?” (“Are you my Mummy?”, em inglês).

O episódio é famoso pelo grande mistério que envolve o enredo. Quem é essa criança e o que ela quer? A ambientação temporal é ótima e faz com que o telespectador volte um pouco no tempo e veja uma história diferente dentro da guerra.

O episódio marca por apresentar um dos companheiros mais famosos do Doutor, o Capitão Jack Harkness (John Barrowman), que, futuramente, teria um spin-off chamado Torchwood e uma grande importância para a história da série. É um dos episódios mais aclamados do 9º Doutor.

4 – Vincent and The Doctor

Doctor Who é conhecido por eventualmente trazer figuras históricas famosas, como William Shakespeare (The Shakespeare Code, 3×02), Agatha Christie (The Unicorn and The Wasp, 4×07) e Winston Churchill (Victory of The Daleks, 5×03 e The Wedding of River Song, 6×13).

Mas o episódio em que o 11º Doutor (Matt Smith) e Amy Pond (Karen Gillan) se encontram com Vincent Van Gogh é um dos mais icônicos e emocionantes de toda a série, que fez muitos fãs chorarem.

O Doutor embarca numa missão de encontrar Vincent Van Gogh (Tony Curran) após perceber algo estranho em uma de suas obras no museu de Orsay, em Paris.

O episódio é focado na vida de Van Gogh, retratando todos os problemas dele, os incorporando com o enredo de uma forma fantástica, como se Vicent estivesse envolvido diretamente com um alienígena que somente ele podia enxergar, o que justificava seus problemas mentais.

A cena final é uma das mais emocionantes da série, quando o Doutor leva Vincent para o futuro para lhe mostrar que ele era um artista importante e que sempre será lembrado por suas obras incríveis.

3 – Silence In The Library e Forest of The Dead

Os episódios oito e nove da quarta temporada contam a vez em que o  10º Doutor (David Tennant) leva sua companheira Donna Noble (Catherine Tate) para um planeta chamado “A Biblioteca”, que contém todos os livros já publicados, após receber uma mensagem lhe pedindo socorro. Porém, ele é surpreendido encontrar o planeta completamente vazio e em quarentena, com apenas uma mensagem: “4022 salvos, sem sobreviventes”.

Os episódios fizeram com que muitos fãs ficassem com medo de atravessar qualquer sombra por ter como vilão alienígenas microscópicos e carnívoros escondidos nas sombras, que são capazes de consumir toda a carne de um corpo humano em segundos.

Também apresentaram a misteriosa Professora River Song, personagem que seria muito importante para o futuro da série. Eles, posteriormente, foram nomeados ao Prêmio Hugo, premiação de obras de fantasia e ficção científica.

2 – Blink

O décimo episódio da terceira temporada de Doctor Who é um dos mais famosos de toda série e um grande chamariz para novos telespectadores, sendo ele o grande favorito entre os fãs.

A história principal não foca no Doutor e, sim, em Sally Sparrow (Carey Mulligan), uma fotógrafa que invade uma casa abandonada com a finalidade tirar fotos em seu interior. Sally, então, encontra mensagens estranhas debaixo do papel de parede descascados para tomar cuidado com os “Anjos Lamentadores” e até uma mensagem alertando para que ela se abaixe antes de ser atingida por uma pedra na cabeça.

Pessoas começam a desaparecer misteriosamente e uma série de eventos estranhos se desencadeiam, apresentando uma grande aventura temporal com um roteiro bem planejado que deixa qualquer um intrigado com a sua perfeita construção.

É icônico por apresentar um dos vilões mais icônicos e horripilantes de Doctor Who, os Weeping Angels (ou Anjos Lamentadores) e o terror psicológico da possibilidade da pessoa morrer caso pisque sequer uma vez. Também é responsável por uma das frases mais icônicas de David Tennant (10º Doutor) em toda a série, por mais que sua presença no episódio não seja constante.

1 – The Day of The Doctor

Em 2013, a série completou 50 anos de exibição e a BBC comemorou o acontecimento com o especial de uma hora chamado The Day Of The Doctor, dando um desfecho para várias pontas soltas da série e um encontro épico entre David Tennant (10º Doutor) e Matt Smith (11º Doutor), considerados por muitos os melhore intérpretes do Doutor na série, o retorno de Billie Piper (intérprete de Rose Tyler) em um papel um pouco diferente da sua personagem conhecida pelos fãs.

Além de finalmente dar um rosto para uma regeneração do Doutor jamais vista antes, aquela que lutou na Guerra do Tempo mencionada ao decorrer da série, o chamado The War Doctor, que foi interpretado pelo respeitado ator John Hurt.

O episódio mostra o último dia da Guerra do Tempo, em que o Doutor de John Hurt tem que fazer a decisão mais difícil de sua vida. Escolha semelhante que Kate Stewart (Beverley Cressman) da Unit tenta fazer quando há uma invasão alienígena em Londres através de um quadro de Gallifrey – planeta de origem do Doutor – que foi impedida com a chegada do Doutor de Matt Smith e Clara Oswald (Jenna Coleman). Com um truque de salto temporal, Smith encontra com o Doutor de Tennant em 1562, em que ambos têm uma interação fantástica. 

Contar muito sobre o enredo pode dar grandes spoilers sobre acontecimentos da série, mas é um episódio recheado de surpresas para os fãs, como uma cena final épica com a reunião de todas as regenerações do Doutor, incluindo a primeira aparição do Doutor de Peter Capaldi, que viria na temporada seguinte, tomando o lugar de Matt Smith na série. E o retorno de Tom Baker (4º Doutor) da série clássica como um cameo no personagem do Curador. É definitivamente o episódio mais épico de toda a série.

Série Doctor Who

Doctor Who é uma série enorme e é claro que muitos episódios icônicos não foram citados e que são tão icônicos quanto os cinco acima. Para o 9º Doutor, temos o episódio que deu início a toda a série – Rose – e sua despedida após uma breve estadia na série no episódio Parting Of The Ways.

Já o David Tennant, teve o maior tempo no papel do 10º Doutor, tendo diversos episódios icônicos, como Girl In The Fireplace, Doomsday, The Sound Of The Drums, Midnight e Stolen Earth/Journey’s End – que reuniu todo o elenco da era Russel T. Davis, showrunner das temporadas 1-4.

O 11º Doutor, que teve um dos melhores inícios, com The Eleventh Hour, é dono dos melhores arcos e episódios duplos da série, como The Time of Angels/Flesh and Stone, The Pandorica Opens/ The Big Bang, The Impossible Astronaut/Day Of The Moon, A Good Man Goes to War/Let’s Kill Hitler, e alguns outros episódios individuais, como The Rings of Akhaten e Journey to the Centre of the TARDIS.

Já o 12º Doutor, teve episódios icônicos e profundos, como Listen, Dar Water/Death In Heaven, The Zygon Invasion/The Zygon Inversion e Heaven Sent.

E, para finalizar com a nossa maravilhosa Décima Terceira Doutora (Jodie Whitaker), o episódio The Pilot, que introduz uma mudança enorme para a série – justificando seu título – e Rosa, aquele que contou a história de Rosa Parks

Doctor Who não é exibido em nenhum canal de televisão no Brasil desde sua última exibição no SyFy, embora já tenha sido exibido pelo canal da BBC, no Brasil, e pela TV Cultura.

Em 2014, esteve no catálogo da Netflix junto de seu spin-off Torchwood, em 2018, teve a exibição da 11ª temporada simultânea com exibição no Reino Unido pela plataforma de streaming da Sony, o Crackle. Atualmente, o Globoplay possui o direito de todas as temporadas em sua plataforma, o que dá a todos uma grande oportunidade de maratonar essa série maravilhosa.

____________________________
Por Rafaela Bertolini – Fala! Cásper

Tags mais acessadas