Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca

Destrua Este Diário

E se um livro começasse a te dar ordens como ‘Fure essa página com um lápis’, ‘Corte várias camadas’ e ‘Suba bem alto e deixe o diário cair’? O livro ‘Destrua Este Diário’, da escritora Keri Smith, traz várias instruções que não possuem ordem para ser seguidas, basta usar a criatividade.

O sucesso foi tão grande que inspirou a Professora Valéria Martins a iniciar um projeto onde seus alunos devem destruir seus diários, e o Fala M.A.C.K. foi conversar com ela sobre essa iniciativa.

Fala M.A.C.K.: Como foi seu primeiro contato com o livro?

Aos finais de semana, costumo dar uma passadinha em uma ou outra livraria. Passeando por uma delas, deparei-me várias vezes com o livro Destrua este Diário. Na terceira vez, parei porque vi um grupo de jovens divertindo-se com algumas páginas. Peguei um exemplar e comecei a folheá-lo. Gostei do que vi. Achei divertido e até mesmo engraçado. Comprei. Levei para casa e comecei a fazer. Tive, ainda, a ideia de olhar na Internet se já havia páginas com comentários sobre o diário e descobri que a quantidade de posts no Facebook já era enorme.

Fala M.A.C.K.: O que a atraiu no Destrua este Diário a ponto de incentivar seus alunos a comprarem o livro ?

O que mais me atraiu foi o processo criativo que o livro pode desenvolver em cada um de nós. Quando a ilustradora canadense Keri Smith elaborou a obra, ela disse que queria que as pessoas se libertassem de seus bloqueios criativos mentais. As crianças são seres muito criativos, mas, muitas vezes, à medida que crescem, perdem essa característica. Meus alunos da Graduação precisam desenvolver esse traço, principalmente em um mundo como o de hoje, em que o ser humano tem tantos estímulos diários com a tecnologia. Em relação à ideia de criar à página “Destrua este diário, Mackenzie”, tenho de confessar que não havia pensado nisso, porém ocorreu de forma natural. Passei a postar as minhas páginas “destruídas” em meu perfil pessoal do Facebook. Vários alunos passaram a também postar suas páginas no meu perfil. Até que, em um determinado dia, uma aluna postou um comentário no qual dava a sugestão de criarmos uma página específica para isso. Nasceu, então, a página “Destrua este diário, Mackenzie” em que, diariamente, podemos curtir os processos criativos de cada um. As ideias que aparecem são incríveis!

Fala M.A.C.K: Você esperava que tantos alunos destruiriam seus diários após o início do seu projeto?

Novamente não. Na verdade, comprei o meu, comecei a fazê-lo e a postar fotos no Facebook. Pela quantidade de comentários, percebi que já era grande o número de alunos que conhecia a obra e que já tinha o diário. Então, pensei: se a obra trabalha tanto com o processo de escrita criativa, por que não adotá-la em cursos que fazem parte da área da comunicação?

Fala M.A.C.K.: Mesmo não sendo considerado um livro didático, o quanto você acha que ele influencia na formação acadêmica de seus alunos?

Não nego, em hipótese alguma, a importância da leitura dos livros para a formação dos alunos. Entretanto, o Projeto trabalha com o desbloqueio de processos criativos que, às vezes, não são libertos apenas pelo processo da leitura. Hoje, preciso, também, voltar a formação do meu aluno para o desenvolvimento da criatividade que não pode ser abandonada, principalmente, na rotina do dia a dia. É incrível como a mesma página do livro de Keri Smith possibilita a criação de diversas propostas! Cada página é um novo desafio e fazer apenas o que a autora pede, passa a ser, cada vez mais, impossível a cada virar de página. Atualmente e cada vez mais, cérebros ativos são buscados pelo mercado de trabalho e repetir o que os outros já fizeram, definitivamente, não é a pedida do momento.

O projeto da Professora Valéria Martins foi um sucesso entre os alunos do CCL, onde 1250 pessoas participaram e foram entregues aproximadamente 450 diários. Compre o livro e mande suas destruições para a página ‘Destrua Este Diário, Mackenzie’, no Facebook. Divirta-se !

FOTOS ABAIXO

Fotos: Aline Marques

0 Comentários