Menu & Busca
Crítica: Vingadores – Ultimato

Crítica: Vingadores – Ultimato


Por Lucas Cunha – Fala!Cásper

Não, Vingadores: Ultimato não é o melhor filme do universo cinematográfico da Marvel, mas definitivamente é um marco na cultura POP no cinema e arrisco dizer que será a maior bilheteria de todos os tempos, colocando os heróis de uma vez por todas no mainstream.

Sempre assisti aos filmes da Marvel no cinema e sei que cada vez saí da poltrona com uma sensação diferente. Apesar de serem sempre – ou quase sempre – reações positivas, dessa vez não foi diferente. Mas se saí da pré estreia de Capitão América: Guerra Civil e Vingadores: Guerra Infinita convicto de que tinha acabado de assistir ao melhor filme da Marvel até então, dessa vez a emoção foi grande, mas não tive a mesma sensação.

Foram 11 anos, 22 filmes, 17 diretores… e tudo isso acaba em Vingadores: Ultimato.

São exatas 3 horas e 1 minuto de filme em que você vê e acredita fielmente que os atores realmente são aqueles personagens. Para ter a experiência completa, o melhor é fugir de todo e qualquer spoiler possível antes do filme – se você pegou algum, não tem problema, mas com certeza a sensação se assistir o filme sem saber exatamente nada do que vai acontecer é única.

Vingadores: Ultimato é o tipo de filme que você poderia levar sua mãe que não sabe quem é o Thor, seu tio que nunca ouviu falar dos Guardiões da Galáxia ou até mesmo sua avó que só conhece o Hulk porque você tinha um boneco dele quando pequeno – e bem, o Hulk não é muito confundível. Como qualquer bom filme de herói, Vingadores: Ultimato também é lotado de fanservice e referências aos quadrinhos. Ainda assim, mesmo a quem não assistiu nenhum dos outro filmes, o longa ambienta o espectador o tempo todo, tornando possível a qualquer um que entenda a trama e CHORE, RIA ou VIBRE numa boa cena de ação.

Vingadores: Ultimato, como quarto filme dos Vingadores, se propõe a encerrar um ciclo, e faz isso muito bem. Assim como Vingadores: Guerra Infinita, o filme já começa com um soco no estômago. Após o famoso letreiro da Marvel, nos próximos minutos vemos e de forma acelerada como os diretores Joe e Anthony Russo colocam um ponto final na história de Guerra Infinita, de forma que se quiséssemos poderíamos parar de assistir o filme no momento em que o título do filme aparece na tela (“Endgame“).

Após a apresentação do letreiro e uma mudança de velocidade no desenrolar dos acontecimentos, uma nova esperança surge e a partir dela os vingadores restantes tem que, antes de tudo, aceitar o “chamado” para o novo desafio e então se desdobrar para trazer de volta aqueles que perderam em sua última batalha.

SPOILERS

O desenrolar de Vingadores: Ultimato se dá com os heróis lidando com problemas oriundos desse novo desafio, e é permeado por piadas ao melhor estilo Thor Ragnarok e Guardiões da Galáxia . O alívio cômico ajuda o filme de pouco mais de três horas a passar rapidamente e culminar em uma ÉPICA cena de batalha final com cerca de 30 minutos onde o MCU (Universo Cinematográfico da Marvel), tem seu primeiro grande arco resolvido, dando fim aos ciclos de Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Capitão América (Chris Evans), os Vingadores originais como um equipe e, principalmente, a todo o desenrolar entre Tony Stark e Steve Rogers, criado em todos os filmes dirigidos e bem amarrados pelos irmãos Russo (Capitão América: Soldado Invernal, Capitão América: Guerra Civil, Vingadores: Guerra Infinita e Vingadores: Ultimato), além, é claro, de apresentar novos personagens e possíveis heróis dos próximos filmes da Marvel.

Um marco da Marvel nos cinemas, as famosas cenas pós créditos não estão presentes neste filme, apesar de todos entusiastas se recusarem a sair das salas até o acender das luzes. Diferente dos outros filmes que precisavam de uma ligação com todo o universo Marvel, esse “último” filme não precisava de ligação nenhuma, ele é o ponto final.

Vingadores: Ultimato dispensa elogios para direção, fotografia, roteiro ou efeitos especiais (já que não há o que falar), mas merece uma reverência para a produção executiva do diretor da Marvel, Kevin Feige. O produtor é o responsável por unir tão bem os longas da Marvel a ponto de criar todo esse hype por filme, de forma que não só os aficionados por quadrinhos e fãs de heróis mas todo mundo contasse os meses, dias e minutos para que o dia 25.04.2019 chegasse. E finalmente chegou!

Vingadores: Ultimato
Ano: 2019
Produtora e Distribuidora: Marvel Studios
Direção: Joe Russo e Anthony Russo
Nota do crítico: 9,5

Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

0 Comentários

Tags mais acessadas