Home / Colunas / eSports: O Crescimento dos Jogos Eletrônicos no Brasil

eSports: O Crescimento dos Jogos Eletrônicos no Brasil

Por Nayara Salaverry – Fala!USP


De quartos desarrumados às gaming houses preparadas: como funciona o cenários de jogos eletrônicos no Brasil?

Enquanto em alguns países a cultura profissional dos jogos eletrônicos já é reconhecida pelo governo, o Brasil ainda aparece em baixa no assunto. No entanto, os eSports, como são conhecidos, não param de crescer no País – parece que a febre já está contagiando nossa nação.

O cenário competitivo dos jogos eletrônicos é variado e pode ser dividido em gêneros como o MOBA (Multiplayer Online Battle Arena), o FPS (First Person Shooter) e os jogos de cartas online. O crescimento e desempenho do público player e pro-player vem sendo uma das principais motivações para a profissionalização dessa modalidade, que promete ter um caminho promissor e um largo ambiente a explorar no Brasil.

Comentaristas e narradores já estão tão presentes nos campeonatos de jogos eletrônicos quanto nos de esporte físico. Espectadores que rendem números impressionantes de audiência em grandes eventos curtem tudo com muita emoção. Além disso, dependendo da relevância do time, o elenco pode ser volumoso, contando com jogadores, empresários, responsáveis pelo marketing visual, treinadores, psicólogos e administradores de fanpages. Tudo para que a estrutura e organização do time estejam em plena qualidade para as principais competições.

Muitas mídias profissionais, como a ESPN, são responsáveis por divulgar os torneios e novidades dos times, bem como informar os amantes dos jogos sobre os tradicionais eventos de disputa que ocorrerão. No entanto, ainda é difícil ver emissoras televisivas dando atenção ao eSports. Por isso a  twitch.tv, plataforma online de transmissão ao vivo online com canais streamers, onde é possível acompanhar alguns jogos, se destaca entre todas.

Muito está sendo prometido para que esse mercado infle cada vez mais e, mesmo que com pouco investimento na modalidade, o Brasil já aparece como um dos maiores consumidores de jogos eletrônicos, entrando na quarta posição do ranking mundial.

Recordes, prêmios e reconhecimento incentivam os jogadores a irem cada vez mais longe, e as marcas patrocinadoras das companhias também ganham muito com isso, uma vez que os adeptos aos games eletrônicos são fiéis em consumir seus produtos, pensando como garantia de vínculo e incentivo ao seu esporte preferido.

Como destaque, podemos citar a Team One como uma das principais empresas para fazer esse ecossistema esportivo acontecer, com modalidades de Counter Strike: GO, Clash Royale, League of Legends e outros jogos para torneios.

Para aqueles que pretendem entrar no ramo, Dota 2, League of Legends e CS:GO estão listados como os torneios mais bem pagos. Mas não pense que é fácil: se é a prática que leva à perfeição, os jogadores profissionais de eSports treinam diariamente nas gaming houses dos clubes, onde inclusive moram, com suas despesas pagas pelas organizações, mas também com muito trabalho a fazer.

Tudo isso os levam a faturar prêmios em valores consideráveis, dependendo da competição. Mas o que parece valer mais a pena para eles, sem sombra de dúvidas, é a popularização desse gênero esportivo, que mesmo movendo milhões de apaixonados, ainda necessita de grandes atenções e muito reconhecimento.

Confira também

Consciência Negra, muito além do dia 20 de novembro

Por João Guilherme Lima Melo – Fala!PUC   Projeto de lei número 10.639, dia 9 ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *