Covid-19: obesidade pode ser fator prejudicial para eficácia da vacina
Menu & Busca
Covid-19: Obesidade pode  ser fator prejudicial para a eficácia da vacina

Covid-19: Obesidade pode ser fator prejudicial para a eficácia da vacina

Home > Lifestyle > Saúde > Covid-19: Obesidade pode ser fator prejudicial para a eficácia da vacina

Obesidade pode colocar em risco eficácia de vacina que visa combater o novo coronavírus, doença pandêmica que assola o Brasil desde o início de 2020

Obesidade
Obesidade pode ser fator prejudicial para a eficácia da vacina contra o Covid-19. | Foto: Reprodução.

Coronavírus: Pessoas obesas fazem parte do grupo de risco

Doenças crônicas associadas à obesidade como doença renal crônica, osteoartrose, câncer, diabetes mellitus, entre outras, podem agravar o quadro de pacientes que contraíram o novo coronavírus. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o mesmo acontece para pessoas com outros tipos de doença, como asma e hipertensão, tornando-as parte do grupo de risco.

Em maio de 2020, três pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, afirmaram em texto publicado na revista médica Lancet que, em populações com grande prevalência da obesidade, a Covid-19 afetaria mais as pessoas jovens.

No Brasil, um boletim feito pelo Ministério da Saúde, em abril de 2020, sobre a disseminação do novo coronavírus, mostrou que a obesidade estava mais presente nos óbitos de jovens que os de idosos. Dias atrás, Raz Shaikh, professor associado de nutrição da Universidade da Carolina do Norte-Chapel Hill, fez uma afirmação alarmante:

Teremos uma vacina de covid no próximo ano adaptada para obesos? De jeito nenhum.

Disse Raz Shaikh em entrevista à CNN norte-americana.

Obesidade pode atrapalhar eficácia da vacina para combater Covid-19?

Em entrevista publicada no Guia da Farmácia, o especialista Cid Pitombo, coordenador do Programa de Cirurgia Bariátrica do Estado do Rio de Janeiro, fala sobre possíveis problemas que obesidade pode representar para a vacina.

Estudos científicos já indicam que vacinas para doenças como gripe, tétano e hepatite B são menos eficazes em adultos obesos do que na população em geral. Isso deixa esse enorme número de brasileiros mais vulneráveis a essas doenças. Não será diferente em relação ao novo coronavírus. Quando a vacina chegar, e há indicação de que ela virá em breve, os obesos seguirão mais suscetíveis à Covid-19.

destaca o especialista Cid Pitombo.

O médico destaca os motivos pelos quais acredita que pessoas obesas continuarão mais suscetíveis à doença pandêmica mesmo após tomarem a vacina.

O obeso é um inflamado crônico. Minha tese de doutorado na Unicamp foi justamente sobre os efeitos dos agentes inflamatórios produzidos pela gordura, principalmente pela gordura visceral, sobre a resistência insulínica e produção do diabetes, também sobre as doenças coronarianas e o fígado. Por isso, vírus de alto impacto no organismo são mais graves entre os obesos por conta dessa condição da doença.

destaca Cid Pitombo

Por fim, o médico alerta pessoas que estão em condição de sobrepeso para dobrarem os cuidados e continuarem seguindo as medidas de prevenção contra a Covid-19.

As evidências são enormes. É essencial que pacientes obesos tenham consciência de que são um grupo de maior risco para a doença e sigam as medidas de prevenção e controle de contaminação, mesmo após a vacina.

destaca o médico e pesquisador Cid Pitombo.

Obesidade X Esteriótipos

É importante que afirmações como essa não reforcem estereótipos negativos sobre pessoas com sobrepeso. O desafio de amar o próprio corpo é um difícil obstáculo na vida de muitas pessoas, principalmente entre pessoas gordas. Por isso, é importante destacar os males da obesidade sem misturá-los com nenhuma pressão estética.

Ninguém com obesidade precisa se tornar magro para ver despencar o seu risco de complicações com infecções e a ameaça de outras doenças, como as cardiovasculares, que podem andar de mãos dadas com os quilos extras. Basta conseguir uma discreta perda de peso.

Diz Lúcia Helena em sua coluna no UOL.
Tags mais acessadas