Confira os cinco castelos mais lindos da Europa para visitar
Menu & Busca
Confira os cinco castelos mais lindos da Europa para visitar

Confira os cinco castelos mais lindos da Europa para visitar

Home > Lifestyle > Viagens > Confira os cinco castelos mais lindos da Europa para visitar

Como na Idade Média os reis, rainhas, príncipes e princesas eram muito comuns, a construção de castelos era bem típica. E, para a nossa sorte, muitos deles ainda existem no Velho Continente e acabaram sendo abertos para visitação do público.

A Europa é famosa por sua história, pelas personalidades mundialmente importantes e por ser o lugar que abriga os castelos mais bonitos e preservados do mundo. De diversos estilos arquitetônicos, gótico, renascentista, barroco e até com traços árabes, os locais representam muito para o país e sua identidade cultural.

Para quem gosta de histórias e filmes da época medieval, a Europa é o lugar mais perfeito para uma viagem. Afinal, vários países e cidades do Velho Continente ainda guardam as construções desse período, principalmente os castelos. Alguns parecem ter saído de um conto de fadas.

castelos
Confira os cinco castelos mais lindos da Europa para visitar. | Foto: Reprodução.

Castelos mais lindos da Europa

1. Castelo de Neuschwanstein, Alemanha

É um dos castelos mais bonitos da Europa e também um dos mais populares de todos os palácios e castelos do Velho Continente. Todos os anos, o castelo de Neuschwanstein recebe cerca de 1,4 milhão de visitantes e é o edifício mais fotografado da Alemanha.

Sua construção começou em 1868, a mando do rei Ludwig II, um rei tímido, mas idolatrado pelo povo. Ludwig II ordenou a construção do castelo com o objetivo de se retirar da vida pública. Contudo, só o viu no canteiro de obras do Neuschwanstein, pois veio a falecer antes de sua conclusão. Sete semanas depois da sua morte, foi aberto ao público.

Como fica no alto de uma montanha rochosa, cerca de 8 metros de pedras precisaram ser removidos para criar um terreno estável para começar a levantar as estruturas do castelo. Na época, foram utilizadas as mais recentes técnicas e materiais de construção que haviam disponíveis. O piso foi cimentado e as paredes erguidas com tijolos e calcário. Em 1880, as obras do castelo foram concluídas, mas a decoração foi concluída apenas em 1994.

O castelo de Neuschwanstein não foi projetado para a realeza, e sim como um local de refúgio para o rei Ludwig II, motivo pelo qual ficou conhecido como o “mundo poético da Idade Média”. A decoração de todo o castelo é algo admirável. Traz imagens inspiradas nas óperas de Richard Wagner, imagens que lidam com o amor e a culpa, o arrependimento e a salvação. Nos quartos, há imagens de reis, cavaleiros, poetas e amantes. O símbolo do castelo é um cisne branco, animal que simboliza a “pureza” de um cristão, pelo qual o rei se esforçou para mantê-la.

São diversas salas que fazem qualquer pessoa ficar deslumbrada com tamanha beleza. Salão inferior, sala do trono, sala de jantar, oratório, sala de estudos, cozinha histórica, sala do ajudante, vestiário, gruta e jardim de inverno, entre tantos outros cômodos que existem no castelo Neuschwanstein. Além disso, o castelo ainda conta com uma loja, cafeteria e sala multimídia.

2. Castelo de Chillon, Suíça

O Chillon é, sem dúvida, um dos castelos mais bonitos da Europa e um dos mais antigos. Sua construção é formada por 25 edifícios e três pátios protegidos por dois anéis de muralhas defensivas. Ele fica ainda mais charmoso por estar localizado em cima de uma rocha na margem do Lago Genebra e com uma vista maravilhosa para os Alpes Suíços.

A escolha do local onde seria construído se deu pelo fato de ser um ponto estratégico para controlar a passagem entre o norte e sul do continente europeu. Já no final do século XIX, o castelo foi restaurado e passou a ser um museu aberto para a visitação do público.

É um castelo bem versátil. Existem várias coisas para ver e fazer no Chillon. Além dos móveis, armas e armaduras, pinturas, documentos históricos e cômodos do castelo, há também exposições de objetos que foram encontradas durante as escavações que ocorreram no castelo entre 1896 a 1903. Exposições temporárias também estão presentes.

É possível fazer um tour que vai te levar para conhecer a gastronomia medieval, com direito a comer os pratos mais populares da nobreza e dos agricultores e degustar bebidas típicas.

Também há a oportunidade de conhecer as vinícolas, com direito à degustação de vinhos produzidos no castelo. Ademais, pode-se visitar as instalações audiovisuais, fazer oficinas e comprar souvenirs na lojinha.

3. Castelo de Hohebzollern, Alemanha

Esse castelo não é apenas um museu que guarda as obras de arte e mobiliário de reis e rainhas e, sim, uma propriedade privada que guarda toda a história da dinastia prussiana, na qual também pertence à família Hohenzollern. E que há quase mil anos serve como moradia temporária da família.

Não é só sua carga histórica e beleza interior que faz dele um dos castelos mais bonitos da Europa, mas, sobretudo, sua localização no alto de uma colina, o que levou o Imperador Guilherme II a proclamar que “o panorama do Castelo Hohenzollern vale verdadeiramente uma viagem”.

O que não falta é coisa para fazer nesse castelo. Além de visitar toda a parte interna e os jardins, o Hohenzollern sedia muitos eventos ao longo do ano, nos quais destacamos o cinema ao ar livre, concertos, noites das estrelas, observação de falcões e corujas, corridas pelas colinas em torno do castelo e feiras de Natal.

Além disso, o castelo conta com um restaurante que oferece um cardápio de comidas regionais.

4. Palácio da Pena, Portugal

O Parque e Palácio Nacional da Pena está na cidade de Sintra. Aliás, essa cidade abriga vários outros castelos e palácios que também valem a pena conhecer. Ele foi classificado pela Unesco em 1995 como Patrimônio Mundial da Humanidade e, em 2013, passou a integrar a Rede de Residências Reais Europeias.

O Palácio da Pena foi construído em cima de uma rocha escarpada e é o segundo ponto mais alto da Serra de Sintra. Sua construção foi dividida em duas partes: a primeira, sendo um antigo convento da Ordem de São Jerónimo, erguido em 1511, que é conhecido como o “Palácio Velho”. Já a segunda parte, foi erguida no século XIX, próxima ao ano de 1843, quando o rei Dom Fernando II resolveu reformar e ampliar o antigo convento. A reforma deu lugar às torres de vigia, um túnel de acesso, ponte levadiça entre outros aspectos que podem ser vistos no Palácio da Pena e que nos remete a um castelo.

No palácio, não deixe de ver a exposição de vitrais, a coleção de pintura, os mobiliários, os aposentos do rei e rainha, a capela e tantos outros pontos que vão te levar a fazer um mergulho na história. No parque, além da caminhada, é possível fazer passeios de charrete e andar a cavalo.

5. Castelo de Bran, Romênia

Com certeza, você já escutou falar do tal Conde Drácula, que vivia em um castelo da Transilvânia, certo? Pois, é! Apresento esse famoso castelo que, na verdade, se chama Castelo de Bran, e que inspirou o romancista Stoker a descrever a morada do famoso vampiro.

O castelo de Bran é um dos mais enigmáticos da Europa. Localizado no topo de uma rocha com mais de 2.000 metros de altitude. A verdade é que o castelo de Bran foi construído com o objetivo de defender a fronteira sudeste da Transilvânia e foi dado de presente para os Cavaleiros Teutônicos pelo rei André II da Hungria, a fim de cumprirem esse objetivo.

A construção foi finalizada em 1388 e logo passou a ser habitado por soldados e mercenários para impedir a expansão do Império Otomano. A fortaleza também serviu como alfândega, detendo 3% das mercadorias que passam por ali. Em 1954, o castelo de Bran foi transformado em um museu pelas autoridades comunistas e aberto ao público.

Quando foi transformado em museu, o Castelo de Bran foi dividido em três departamentos: o castelo em si, os costumes medievais e a etnografia, que inclui as casas tradicionais no parque ao redor do castelo. O castelo ainda conta com restaurantes e diversos eventos que são programados ao longo do ano.

______________________________
Por Sabrina Ferreira – Fala! Centro Universitário Brasileiro de Pernambuco – Recife

Tags mais acessadas