Caso Mari Ferrer: Mulheres organizam protestos em várias cidades do Brasil
Menu & Busca
Caso Mari Ferrer: Mulheres organizam protestos em várias cidades do Brasil

Caso Mari Ferrer: Mulheres organizam protestos em várias cidades do Brasil

Home > Notícias > Urbano > Caso Mari Ferrer: Mulheres organizam protestos em várias cidades do Brasil

Após sentença de “Estupro Culposo” para André Aranha, mulheres se revoltam e organizam protestos em defesa de Mari Ferrer por todo Brasil.

Mari Ferrer
Caso Mari Ferrer repercute nas redes após condenação de André Aranha por “estupro culposo”. | Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil.

Caso Mari Ferrer: André Aranha é condenado por “Estupro Culposo”

O caso Mari Ferrer teve início em dezembro de 2018, quando a promotora de eventos acusou o empresário André Aranha de estuprá-la durante uma festa no Café de la Musique, em Jurerê Internacional, onde a jovem, de 21 anos na época, trabalhava.

Apesar do sêmen do acusado ser identificado nas roupas de Mari Ferrer e de um vídeo vazado mostrando o empresário adentrando uma cabine logo após a influencer, local onde supostamente o estupro teria sido consumado, o réu foi absolvido das acusações por falta de provas, de acordo com o MP de Santa Catarina em setembro de 2020.

Ontem (3), a frase “Não Existe Estupro Culposo” chegou aos trends do Twitter e do Instagram. Isso aconteceu após a divulgação de um trecho do documento oficial do caso, onde a justiça alegou que o suposto estupro de André Aranha “exclui dolo”, ou seja, não foi uma ação feita de má-fé, mas sim, um crime culposo, que é caracterizado quando “não há a intenção”. Em toda a história da justiça brasileira, nunca havia existido uma sentença como essa.

O erro sobre elemento construtivo do tipo legal de crime exclui dolo, mas permite a punição por crime culposo. (…) É uma conduta onde há vontade, mas não há plena consciência.

Escreveu a justiça no documento oficial do caso Mari Ferrer.

A vítima compartilhou o caso em suas redes sociais e, de acordo com ela, a apuração dos fatos sobre a suposta violência sexual e a investigação não ocorreram corretamente, pois seu suposto estuprador, André Aranha, seria um homem de influência na região com muito poder aquisitivo.

Mulheres de todo o Brasil passaram a se juntar em grupos do WhatsApp e estão organizando protestos pacíficos que respeitarão o distanciamento social em prol da justiça por Mariana Ferrer. Para entrar nos grupos do Whats, basta clicar no link do seu Estado na lista abaixo:

Um abaixo-assinado para a revisão do caso Mari Ferrer já acumula mais de 3,6 milhões de assinaturas e visa chegar em 4,5 milhões. Para ter acesso à petição, clique aqui.

Justiça para Mari Ferrer: Mulheres organizam protestos por todo Brasil

Além dos grupos do WhatsApp e do abaixo-assinado, a comoção popular também fez com que mulheres de todo o Brasil se juntassem para organizar protestos em suas respectivas cidades. As manifestantes estão combinando de utilizar roupas pretas, levar cartazes pedindo por justiça e velas. Confira onde irão ocorrer os protestos:

  • Brasília – 4 de novembro às 19h – Praça dos Três Poderes
  • Francisco Beltrão / PR – 7 de novembro às 17h – Praça Eduardo Virmond Suplicy, calçadão central
  • São José dos Campos / SP -7 de novembro às 17h – Praça do Jardim Aquarius
  • Belo Horizonte / MG – 7 de novembro às 15h – Praça Sete de Setembro
  • Salvador / BA – 7 de novembro às 15h em frente à Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Bahia (OAB-BA), no Dois de Julho
  • Belém / PR – 8 de novembro, horário a definir – Estação das Docas
  • Rio de Janeiro / RJ – 8 de novembro às 14h – Praça da Cinelândia, no Centro da cidade
  • Porto Alegre / RS – 8 de novembro às 15h – Esquina Democrática
  • São Paulo / SP – 8 de novembro à 13h – Concentração no vão do MASP
  • Campinas / SP – 8 de novembro às 10h – Largo do Rosário
Tags mais acessadas