Menu & Busca
O caso da boneca MoMo

O caso da boneca MoMo


Desde segunda (18), pais de todo o Brasil tem se preocupado com a presença da boneca MoMo nos desenhos que as crianças assistem. Testemunhas afirmam ter visto o rosto de MoMo nos desenhos assistidos online, em plataformas como o YouTube e o YouTube Kids, e viram-na incentivar as crianças a buscarem objetos cortantes para realizar práticas suicidas.

Foto: Gazeta Online

A boneca tem olhos esbugalhados, olheiras e um sorriso amedrontador, e é conhecida em diversos países por convencer crianças a aplicarem golpes, até mesmo roubo de dados. Os pais tem compartilhado freneticamente, no WhatsApp, vídeos de desenhos como o Baby Shark, porém editados, de forma que MoMo faz uma aparição de poucos segundos, com dublagem em inglês e espanhol e imagens gráficas que estimulam as crianças a cortarem os pulsos.

“Ontem (domingo) eu tinha notado que a minha filha estava mais tristinha, calada. Aí hoje, eu estava no banheiro, ela chegou e me perguntou se poderia conversar com o espelho. Eu expliquei que a gente deve usar o espelho para se olhar e não para ficar conversando. Então ela disse que precisava de uma faca para cortar o pulso, pescoço e barriga, porque a MoMo tinha falado isso em um vídeo. E se ela não fizesse, a MoMo viria a noite e faria isso com ela” contou uma mãe para a Gazeta Online.

Ontem, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) notificou o Google e o Whatsapp para que tirassem do ar os conteúdos que envolviam a MoMo. A aparição da boneca em vídeos do YouTube e do YouTube Kids ainda não foi confirmado pela plataforma, mas os relatos servem para os pais se manterem em alerta quanto ao conteúdo que suas crianças tem acessado. Quem encontrar esse conteúdo em qualquer plataforma deve realizar a denúncia para que o mesmo seja removido.

Foto: Patrick Rodrigues

A boneca MoMo é na verdade uma mulher metade galinha – uma figura inspirada no folclore japonês-, criada por uma empresa japonesa de efeitos especiais. Ela está em exposição no Japão em uma galeria de artes.

Foto: Reprodução
Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

0 Comentários

Tags mais acessadas