Bolsonaro ironiza tortura sofrida por Dilma Rousseff na Ditadura Militar
Menu & Busca
Bolsonaro ironiza tortura sofrida por Dilma Rousseff na Ditadura Militar

Bolsonaro ironiza tortura sofrida por Dilma Rousseff na Ditadura Militar

Home > Notícias > Bolsonaro ironiza tortura sofrida por Dilma Rousseff na Ditadura Militar

Na manhã de segunda-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro ironizou o fato de a ex-presidente Dilma Rousseff ter sido torturada durante a Ditadura Militar, em 1970. A fala do Presidente da República foi dirigida a apoiadores de seu governo na porta do Palácio da Alvorada, na qual cobrou um raio x que comprovasse fraturas sofridas por ela nesse período.

Além de cobrar uma confirmação da tortura sofrida por Dilma Rousseff, Jair Bolsonaro fez comentários sarcásticos a respeito dos ex-maridos da ex-presidente. Ele também alegou que o PT (Partido dos Trabalhadores) estaria envolvido no sequestro do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, e na morte do médico legista, Carlos Printes.

Em nota à imprensa, Dilma Rousseff afirmou que Bolsonaro não se sensibiliza diante da dor dos outros.

Jair Bolsonaro ironiza tortura sofrida por Dilma Rousseff

Ontem, segunda-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro ironizou tortura sofrida por Dilma Rousseff em 1970, durante o Regime Militar. Na porta do Palácio da Alvorada, afirmou para apoiadores que o PT estaria envolvido no sequestro e na tortura de Celso Daniel, ex-prefeito de Santo André.

Celso Daniel foi sequestrado em 2002, torturado e assassinado, aos 50 anos. Investigação realizada pela polícia indica que o prefeito foi raptado por engano. Durante a investigação do caso Celso Daniel, pessoas relacionadas a investigação morreram, como o médico legista Carlos Printes.

Segundo Bolsonaro, Daniel e Printes foram assassinados por ordem do PT. Durante essas alegações, o presidente disse que o Partido dos Trabalhadores falava muito sobre a tortura durante o regime militar, mas que torturavam e matavam pessoas. Ele também deu a entender que a ex-presidente Dilma Rousseff não foi tortura, e pediu provas do ocorrido.

Dizem que a Dilma foi torturada e fraturaram a mandíbula dela. Traz o raio X para a gente ver o calo ósseo. Olha que eu não sou médico, mas até hoje estou aguardando o raio X.

Fala do presidente durante conversa com apoiadores na manhã de segunda-feira

O presidente também fez comentários irônicos a respeito dos ex-maridos de Dilma. Ele relembrou a participação de ambos durante o período da Ditadura Militar. Claudio Galeno e Carlos Araújo fizeram parte do movimento armado de esquerda durante a década de 70.

O primeiro marido dela, que está vivo, Claudio Galeno, sequestrou um avião e foi para qual País democrático? Cuba. O segundo, que morreu, Carlos Araújo, (…) falou que passou a lua de mel com Dilma Rousseff assaltando caminhões de carga na baixada fluminense.

O Presidente da República fala sobre ex-maridos de Dilma Rousseff

Dilma Rousseff se manifesta sobre o caso

A ex-presidente Dilma Rousseff divulgou uma nota à imprensa afirmando que Jair Bolsonaro não se sensibiliza diante a dor de outros seres humanos e que revela uma índole de torturador. Além disso, Rousseff diz que o atual Presidente da República é sociopata, que apoia outros torturadores.

Jair Bolsonaro ironizou, nesta segunda-feira (28), tortura sofrida por Dilma Rousseff na década de 70.
Jair Bolsonaro ironizou, nesta segunda-feira (28), tortura sofrida por Dilma Rousseff na década de 70. Foto: Arquivo/Roberto Stuckert/2016

É triste, mas o ocupante do Palácio do Planalto se comporta como um fascista. E, no poder, tem agido exatamente como um fascista. Ele revela, com a torpeza do deboche e as gargalhadas de escárnio, a índole própria de um torturador. Ao desrespeitar quem foi torturado quando estava sob a custódia do Estado, escolhe ser cúmplice da tortura e da morte.

Afirmou a ex-presidente sobre as falas de Jair Bolsonaro

(…) não respeita a vida, é defensor da tortura e dos torturadores, é insensível diante da morte e da doença, como tem demonstrado em face dos quase 200 mil mortos causados pela covid-19 que, aliás, se recusa a combater. (…) Um sociopata, que não se sensibiliza diante da dor de outros seres humanos, não merece a confiança do povo brasileiro.”

Não é a primeira vez que o presidente Jair Bolsonaro faz comentários a respeito da tortura sofrida por Dilma no Regime Militar. Em 2016, durante a votação do processo de impeachment da ex-presidente, Bolsonaro exaltou o torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra, que comandou o DOI-Codi do 2º Exército de 1970 a 1974. Em seu discurso ele cita Ustra como “o pavor de Dilma Rousseff”.

Repercussão do caso

Os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Lula, criticaram Jair Bolsonaro por sua fala a respeito de Dilma Rousseff. FHC publicou em suas redes sociais que o que ocorreu foi inaceitável, afirmando que o presidente passou dos limites.

O ex-presidente Lula também se manifestou no Twitter sobre os comentários de Bolsonaro. Ele declara seu apoio a Dilma Rousseff e afirma que o presidente é um homem sem valor.

O presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia, o deputado Baleia Rossi e o ex-governador Ciro Gomes também se manifestaram.

____________________________________________

Por Luiza Nascimento – Redação Fala!

Tags mais acessadas