Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Avicii e outros artistas que se eternizaram nos palcos

Avicii e outros artistas que se eternizaram nos palcos

Por Lais Morais e Beatriz Pugliese – Fala!PUC

Conhecido como Avicii, o músico sueco Tim Bergling, foi encontrado morto nessa sexta-feira, dia 20, em Omã, no oriente médio. O Dj, morto com 28 anos, teve uma rápida ascensão no mercado da música e seguiu com uma curta mas bem-sucedida carreira. Apesar de supertalentoso, o jovem sueco não era apaixonado pelos palcos e holofotes. Não gostava de ser o centro das atenções, e justamente por ter se tornado uma estrela mundial, sofreu diversos problemas psicológicos e de saúde.

Aos 26 anos Avicii abandonou os palcos e até mesmo produção, quando divulgou sua aposentadoria devido ao quadro que ele apresentava de pancreatite e estafa mental. Pancreatite que é uma doença no pâncreas, que entre uma de suas causas está o alcoolismo, o que é compreensível visto que o cantor era constante consumidor de álcool e drogas. E estafa mental é uma consequência da fadiga e estresse, que por ser intensa, gera dor física.

[read more=”Leia Mais” less=””]

Avicii aproveitou sua aposentadoria para finalizar e divulgar seu documentário True Stories que, já estreado em alguns cinemas, viria a ser transmitido também para o Netflix, segundo o próprio Dj afirmou pouco antes de morrer. Filmado durante 5 anos de sua carreira, o documentário conta com declarações de grandes gênios da música eletrônica como David Guetta, e também diz muito sobre o próprio Tim, não apenas o astro da música Avicii, indo mais além em sua personalidade e questionamentos sobre sua carreira e o rumo de sua vida que viria a fazer o cantor se aposentar.


 Avicii antes e depois do envolvimento com álcool e drogas – Fotos Correio Braziliense

Avicii foi um talento que se perdeu com o sucesso e a fama, “É difícil dizer não nessa indústria”, desabafou o astro em 2014 ao cancelar sua turnê para se dedicar ao tratamento médico. Entretanto, o músico não foi o primeiro a perder sua vida para o álcool e escapou por pouco de entrar para o Clube dos 27.

Tal denominação consiste em uma lista de importantes nomes da música que faleceram aos 27 anos, sendo os principais Jimi Hendrix, Janis Joplin, Kurt Cobain e recentemente, em 2011, Amy Winehouse. Todos morreram por suicídio ou envolvimento com álcool e drogas, e terem comportamentos ligados à depressão. Contudo, Avicii seria o primeiro artista de EDM (“Eletronic Dance Music”) a entrar para a lista, sendo todos os outros astros de rock.

Em geral, estes músicos e atores que se perderam foram introduzidos à fama e ao dinheiro ainda muito jovens, e muitas vezes foram vistos como produtos antes de humanos. Ainda, esses artistas colocam sua ideologia e sua paixão pela arte acima de tudo, sendo capazes de se tornar dependentes de alucinógenos para criar sua arte e fugir da realidade sufocante do sucesso e fama. Tal paixão sem limites tornou esses talentos influencias para gerações inteiras de jovens. São gênios que deram suas vidas para que fossem capazes de produzir e reproduzir sua arte.

             Artistas do Clube dos 27, postado no site Arte Sonora

O jovem sueco em diversas músicas expressou sua vontade de viver intensamente, pois a morte é inerente ao homem- como no vídeo clipe de um de seus sucessos, The Nights, “when I die, I want to be remembered for the life I lived—not the money I made” (quando morrer, quero ser lembrado pela vida que eu vivi, e não pelo dinheiro que fiz). Tim sem dúvidas era um jovem cheio de valores e princípios, e com seu desejo realizado de viver uma vida a ser lembrada, com o legado de suas músicas.

[/read]

Confira também:

– Moda, cultura e política – como a década de 60 influenciou o mundo da moda

0 Comentários