Atletas se revoltam contra o racismo e fazem greve nos EUA
Menu & Busca
Atletas se revoltam contra o racismo e fazem greve nos EUA

Atletas se revoltam contra o racismo e fazem greve nos EUA

Home > Notícias > Esporte > Atletas se revoltam contra o racismo e fazem greve nos EUA

O assassinato de um homem negro inocente volta a causar revolta nos EUA e jogadores das ligas de esportes americanos boicotam os jogos em protesto contra o racismo e a brutalidade policial

Atletas da NBA, liga americana de basquete, encabeçaram o boicote das partidas eliminatórias, os playoffs, que seriam realizadas na última semana (26), em protesto à violência policial contra negros. Policiais dispararam sete tiros à queima-roupa contra Jacob Blake, homem negro de 29 anos, em Wisconsin (23).

Ele entraria em seu carro, onde estavam seus filhos, e foi atingido pelas costas. O homem foi hospitalizado e está internado em estado grave. Os policiais foram afastados e foi aberta uma investigação pela justiça americana.

Jacob Blake
Jacob Blake é intimado e baleado por policiais. | Foto: O tempo.

Atletas se revoltam contra o racismo e fazem greve nos EUA

Os jogadores dos Bucks, time representante da cidade de Milwaukee, no estado onde ocorreu o ataque a Jacob, foram os primeiros a demonstrar sua revolta ao não entrar em quadra contra o Orlando Magic, tornando-se a primeira equipe a boicotar uma fase de mata-mata na NBA. Vários times que jogariam o playoffs estão na “bolha” feita no complexo Disney para proteção dos jogadores em razão da Covid-19. A recusa do jogo se espalhou e diversos jogos não ocorreram.

Jogadores das ligas de futebol americano, NFL, e beisebol, MLB, e a liga americana de basquete feminino aderiram ao movimento e tiveram seus jogos postergados. Um torneio internacional de tênis, que acontecia em solo americano, também teve as partidas suspensas.  

Por isso, o movimento Black Lives Matter voltou a ganhar repercussão e foi novamente enaltecido pelos atletas e por grande parte da sociedade. A morte de George Floyd, sufocado no chão por dois policiais, iniciou a grande onda de protestos antirracistas que marcou o ano de 2020.  O uso de camisetas que estampam a hashtag, e o ato de levantar um dos braços com os punhos cerrados simbolizam a luta pela igualdade de brancos e negros.

racismo
Jogadores do Los Angeles Lakers ajoelham-se em protesto. Nas camisetas o mantra da luta contra o racismo. Foto: O Globo.

Após a primeira onda de boicotes, os jogadores de basquete propuseram uma reunião para decidir o futuro da competição. Grandes nomes da competição, como LeBron James, se opuseram à volta dos jogos, concordando com o encerramento da temporada. No entanto, depois de horas de negociação, foi-se estipulada a volta da liga. Contudo, a volta do foi acordada com a promessa de que a luta contra a brutalidade policial e igualdade racial seguirá firme.

_____________________________
Por Nina Galiotte – Fala! Cásper

Tags mais acessadas