Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Aspirando e Expelindo – Livro de poesias pelo estudante Gabriel Ferreira

Aspirando e Expelindo – Livro de poesias pelo estudante Gabriel Ferreira

Por Beatriz Abrantes – Fala!MACK
Fotos por Júlia Feltrin – Fala!MACK

O lançamento do livro de poesias Aspirando e Expelindo aconteceu no domingo (8) na livraria Martins Fontes da Avenida Paulista. O autor, Gabriel Ferreira, esteve durante toda a tarde no segundo andar, realizando uma sessão de autógrafos com amigos, fãs e parentes. O evento também contou com a presença da Editora Chiado.

Desde as 15h às 18h, o segundo andar da Martins Fontes, na Avenida Paulista, esteve lotado de pessoas que foram prestigiar o trabalho de Gabriel Ferreira, estudante de jornalismo de apenas 20 anos de idade. “Eu sempre gostei de poemas e acabei criando essa oportunidade de escrever. Aí eu parei de ler os poemas e comecei a escrever os meus, pra começar a pensar nas minhas ideias, sem ficar parecido com algum poeta. Queria escrever os meus próprios”, conta o autor, empolgado com o evento.

[read more=”Leia Mais” less=””]

Os convidados entravam pela sala e abriam um enorme sorriso ao verem Gabriel sentado com as mãos sobre a mesa de madeira, ao lado de seu livro, apoiado em um suporte. Fotos também eram tiradas, além de risadas e palavras de orgulho sobre a tão esperada obra.

“Eu tenho um amor muito grande pelo Gabriel, um carinho muito grande. Eu estou achando o evento maravilhoso. Eu fiquei muito feliz quando eu cheguei, quando eu vi ele, me deu uma emoção muito grande. Eu estou muito orgulhosa”, diz Taynan Soares, 21, amiga do autor há três anos.

A mãe de Gabriel, Marilda Glória Santana, 68, esteve por todo o tempo no evento. Ela recepcionava parentes e dava apoio a seu filho:

“Ele foi escrevendo e foi guardando. Foi anotando e foi guardando. Aí, há um ano ele falou: “Mãe, meu livro está pronto”. E eu falei “Que livro?”. “Eu escrevi um livro”. Aí eu, “Jura?”. “Juro”. Só que ele não falou que era de poesia, e demorou para falar. Inclusive ele escreveu uma poesia pra mim. Tem no livro uma poesia pra mim. É número XIX. Aí me deixou mais orgulhosa ainda”.


Poesia número XIX:

Ela nasceu no limão, tem os olhos verde de carisma

Ela canta Roberto, mas é seu sorriso que me contagia

Quando ela chora, o mundo se teoriza.

Ela faz o que nenhuma mãe faria, faz a minha vida mais bela.

Ela luta para minha vida ficar mais completa.

Amigos do autor também estiveram presentes no lançamento para homenageá-lo. Grazielly Neves, 20, acredita que Gabriel merece a oportunidade, afinal, ele é muito jovem e já tem uma editora apostando em sua carreira. “Estou gostando bastante da atenção que ele está dando pra todo mundo. É bem difícil poder conciliar essa atenção com lançamento do seu livro e ele está fazendo isso de uma maneira espetacular”, ressalta o amigo do autor, Luka Diniz, 19.

Quando começou a escrever, Gabriel tinha apenas 14, passando cinco anos debruçado sobre os versos. O resultado, segundo a sinopse da Editora Chiado, “É a poesia falando de coração para coração e de si para si mesmo”. De acordo com o autor, a inspiração do livro vai desde sua adolescência até o final dela, servindo como meio de observação e de criação para suas ideias.

Já o título da obra, surge com o verdadeiro intuito do livro que, para Gabriel, nada mais é do que aspirar momentos e observações de sua vida, e expeli-las por meio das palavras e dos versos (logo, Aspirando e Expelindo). ”Quando eu estava feliz eu escrevia, quando eu estava triste eu escrevia. Quando eu quis publicar o livro, eu quis juntar mais alguns, eu quis fazer especialmente para o livro, que foram os últimos que eu fiz. Aí juntei tudo. Eu falei “Tem que ter 57 poemas”, coloquei isso na minha cabeça. Eu só tinha uns 50. Escrevi mais alguns só para ter este momento atual da minha vida”.

[/read]

Confira também:

– Resenha: A Pequena Sereia, O Musical

– “Extraordinário” – o livro que é uma lição de empatia

0 Comentários