As coisas mais compradas pela Internet durante a quarentena
Menu & Busca
As coisas mais compradas pela Internet durante a quarentena

As coisas mais compradas pela Internet durante a quarentena

Home > Lifestyle > As coisas mais compradas pela Internet durante a quarentena

Desde que o vírus da Covid-19 começou a circular no país e a quarentena passou a ser decretada, foram necessárias muitas mudanças em nosso cotidiano. Assim, o perfil de consumo também sofreu alterações. Logo, as compras on-line passaram a ser a melhor opção e aqueles setores que precisam atuar presencialmente, sofreram quedas bruscas nas vendas. 

Compras on-line
Compras on-line cresceram 40%. | Foto Reprodução: Getty Images/EyeEm.

Setores que mais cresceram

Com os comércios parcialmente fechados e muitas pessoas trabalhando em home office, as compras on-line passaram a ser a melhor alternativa para adquirir produtos. Além da praticidade, é uma forma segura de consumir. Dessa forma, os setores que mais lucraram ao longo da pandemia, foram os de aplicativos de entregas, serviços para teletrabalho, como planos de Internet e eletroeletrônicos, e cursos on-line.

Porém, houve um setor que, mesmo presencialmente, aumentou significativamente as vendas, o de supermercados. Por ser um serviço essencial, permaneceram abertos e lucraram muito com isso, priniprincipalmente no início.

Assim que começaram a ser adotadas medidas de isolamento, muitas pessoas correram para o supermercado a fim de se prevenirem em caso de fechamento, o que não aconteceu. De todo modo, o setor ampliou suas vendas, mesmo com limitações na capacidade de clientes.

compras
Compras nos supermercados subiram 17%. | Foto Reprodução: Getty Images.

Setores que mais despencaram

Com os shoppings e lojas de rua fechados na maior parte do tempo, tais lojas sentiram fortemente o impacto. Portanto, os setores que mais diminuíram suas vendas foram os de roupas, calçados, restaurantes, hotéis, postos de combustíveis e veículos, incluindo peças e serviços.

A queda desses setores, já era imaginada, tendo em vista que saindo menos de casa, as pessoas não precisam se preocupar tanto com serviços e produtos supérfluos, antes utilizados com maior frequência.

lojas com desconto
Compras de roupas e calçados despencaram quase 90%. | Foto Reprodução: Max Peixoto/Estadão Conteúdo.

_________________________________
Por Fernanda Oliveira – Fala! Anhembi

Tags mais acessadas