Menu & Busca
Aladdin: Crítica do live action

Aladdin: Crítica do live action


O live action de Aladdin surpreende em todos os sentidos: tem uma trilha sonora excepcional como no original, cenas incríveis e emocionantes (principalmente durante Um Mundo Ideal), uma atuação impecável por parte dos protagonistas, um empoderamento feminino encorajador através de Jasmine (Naomi Scott) e a interpretação extraordinária de Will Smith que só perde um pouco a qualidade por causa do péssimo CGI do Gênio.

Em um ano recheado com grandes estreias, como Vingadores: Ultimato, Dumbo, O Rei Leão e o nono episódio de Star Wars, Aladdin não deixa nem um pouco a desejar. Com mudanças delicadas no roteiro, o remake transformou a animação de 1992 em um live action extremamente atual com críticas sociais pertinentes.

Aladdin live action
Cena no novo Aladdin

Aladdin começa com uma cena que vai fazer os que duvidaram da direção de Guy Ritchie acreditar que estavam certos: duas crianças em um barco simples se surpreendem ao ver uma embarcação luxuosa passar ao lado delas. A sensação é de que faltou criatividade, mas a decepção acaba quando o pai delas começa a cantar Noite na Arábia, que traz aquela sensação de nostalgia que só os live actions da Disney são capazes de nos fazer sentir.

É Aladdin ou Alladin?

Tem gente escrevendo o nome do personagem de tudo quanto é jeito: Aladim, Aladyn, Haladim, Alladdin… Mas a maior dúvida está entre Aladdin e Alladim, então viemos resolver a sua dúvida: é Aladdin, com um L só e dois D!

O Novo Aladdin Melhora o que era bom no Primeiro

Trilha Sonora

A tradução de A Whole New World é uma das melhores de todas as trilhas sonoras da Disney. A música tema de Aladdin fica tão boa quanto na sua versão brasileira, Um Mundo Ideal. No live action, todas as músicas do filme receberam uma interpretação justa. Além disso, novas músicas foram adicionadas à trilha sonora, que deixou o filme simplesmente perfeito.

Trilha Sonora do novo filme Aladdin

Jasmine e o empoderamento

O roteiro segue os principais acontecimentos do filme original. Entretanto, algumas mudanças foram feitas para que ele se mantivesse atual e atraente. Entre elas, uma que já é possível perceber em outros live actions das princesas, mas de forma bem mais discreta: nos originais de Cinderela e A Bela e a Fera, as as princesas eram indefesas e sempre salvas por um príncipe. Nos live actions, elas ganharam um pouco mais de autonomia. No entanto, em Aladdin, Jasmine ganha toda a autonomia que deseja.

Um dos debates abordados no filme ronda o desejo de Jasmine de se tornar Sultana do seu reino. O seu pai, contudo, garante que ela precisa se casar com um príncipe e ele será o próximo Sultão. Inclusive, Jafar fala, mais de uma vez, que “a princesa deve ficar calada”. Mas até na trilha sonora o empoderamento falou mais alto: a música Speachless ou, em português, Ninguém Me Cala, deveria entrar na playlist de todas as mulheres de agora em diante.

Jasmine Aladdin
Jasmine Aladdin

O novo solo de Jasmine mostra ainda mais como a princesa ganhou uma personalidade completamente nova na interpretação de Naomi Scott. Ela foi, sem dúvidas, a personagem que mais mudou do original para o live action. Se tornou muito mais autonoma, ambiciosa e independente. Além disso, Mena Massoud provou que quem duvidou do potencial dele de fazer Aladdin estava completamente errado. Massoud deu vida ao príncipe com uma atuação impecável e memorável.

O Gênio de Will Smith

Sem dúvidas, o membro do elenco que mais gerou expectativa nos fãs foi Will Smith. Como já era imaginado, o CGI foi decepcionante. Por isso, é necessário uma certa delicadeza para avaliar a performance de Smith sem permitir que a digitalização do Gênio atrapalhe. Mas Will Smith, como sempre, arrasou na interpretação e fez um Gênio engraçado e original que cria um vínculo com a plateia tão forte quanto Aladdin cria com Jasmine.

Além disso, a pressão acerca da interpretação do Gênio era enorme. Primeiramente porque, na animação, esse personagem foi interpretado por Robbie Williams. Então, Smith tinha o desafio de interpretar o papel com o mesmo padrão de qualidade que o ator antecessor. E tudo indica que, apesar do CGI esquisito, ele conseguiu.

genio will smith Aladdin
Cena de Will Smith como gênio no novo Aladdin

Em segundo lugar, os atores responsáveis pelo casal protagonista eram desconhecidos até então. Naomi e Massoud provaram seu potencial e certamente tiveram as carreiras alavancadas com esse filme. No entanto, já que a audiência não sabia o que esperar deles, toda expectativa foi criada em cima do nome mais conhecido do elenco: o de Will Smith.

Mesmo com toda pressão, Will Smith não decepciona o público. A interpretação do Gênio ficou simplesmente perfeita e ele praticamente protagonizou o filme com Jasmine e Aladdin. Inclusive, o casal foi muito bem representado pelos atores também. De fato, o marketing foi a parte mais mal trabalhada do filme, já que o resultado final de Aladdin foi muito mais satisfatório do que os trailers indicavam que seria!

Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

0 Comentários

Tags mais acessadas