Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Agrotóxicos e Comida Orgânica: tudo o que você precisa saber

Agrotóxicos e Comida Orgânica: tudo o que você precisa saber

Os agrotóxicos são usados para o controle de pragas nas plantações, maximizando assim a produção de alimentos. O uso de agrotóxicos, que também são conhecidos por pesticidas ou agroquímicos, aumenta a produção de alimentos, mas também gera preocupação à saúde humana e ambiental.

Agrotóxicos podem ser definidos como substâncias capazes de impedir a ação ou matar diretamente insetos (inseticidas), ácaros (acaricidas), moluscos (moluscicidas), roedores (rodenticidas), fungos (fungicidas), ervas daninhas (herbicidas), bactérias (antibióticos e bactericidas).

Agrotóxicos no Mundo

Os agrotóxicos são produtos utilizados na agricultura para matar pragas, eliminar doenças e acabar com plantas invasoras que podem prejudicar o desenvolvimento de uma plantação.

Como os agrotóxicos funcionam

O produto é formulado para combater desde pragas, insetos, fungos, bactérias, plantas daninhas, até doenças que atacam as plantações, aumentar a produtividade para atender à demanda mundial e conservar os alimentos até chegarem à mesa do consumidor.

Embora mantenham as culturas equilibradas, pesquisas alegam que seu uso inadequado pode trazer malefícios para a saúde humana e ambiental.

Agrotóxicos no Brasil

O Brasil é o país que mais consome agrotóxicos no mundo, chegando a cerca de 20% de toda a produção mundial. De acordo com a Associação Brasileira de Agroecologia (ABA), cada brasileiro consome cerca de 5,5 quilos de agrotóxicos anualmente.

A produção de defensores agrícolas teve início após a Primeira Guerra Mundial e foi difundida no Brasil a partir da década de 1940, com a chamada Revolução Verde. De 2000 a 2012, constatou-se um aumento de 288% no uso do produto em solo brasileiro. As regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul lideram o consumo total do país.

A Anvisa, órgão regulamentador da área, divulgou em 2016 o relatório do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA) considerando 80,2% dos alimentos satisfatórios, 42% sem taxa residual, 38,3% com resíduos dentro do Limite Máximo de Resíduos (LMR), 3% acima do LMR e 19,7% insatisfatórias.

O dado que mais preocupa os pesquisadores é o fato de 18,3% dos alimentos apresentarem resíduos de agrotóxicos não autorizados para a cultura, gerando uma série de riscos ao consumidor, ao trabalhador rural e ao meio ambiente.

Lista dos alimentos com mais agrotóxicos.
Agrotóxicos fazem mal à saúde e ao meio ambiente.

Como os agrotóxicos podem prejudicar o meio ambiente

O uso de agrotóxicos podem prejudicar o meio ambiente. A contaminação ambiental por agrotóxicos causa consequências graves ao meio ambiente e também aos seres humanos.

De acordo com o IBGE, o uso de produtos agroquímicos é a 2° maior causa de contaminação dos rios no Brasil. Isso ocorre porque quando há o uso indiscriminado, os resíduos de compostos químicos são escoados para o solo, contaminando os lençóis freáticos.

“Com pulverizadores mal calibrados e com o manejo inadequado do solo, há o revolvimento excessivo que ocasiona a erosão e o transporte dos agrotóxicos até os cursos d´água”, explica Robson Barizon.

O Perigo dos Agrotóxicos

A nutricionista Luana Marchi aponta que:

Os agrotóxicos possuem substâncias cancerígenas, podem afetar a taxa de fertilidade, causar problemas respiratórios, gerar distúrbios de tireoide, desenvolver problemas de ordem neurológica e sintomas de intoxicação.

Como forma de escape, orienta seus pacientes a optarem por alimentos orgânicos sempre que possível.

O pesquisador Robson Barizon, da Embrapa, complementa que adquirir produtos certificados é imprescindível. “A garantia de consumir um produto de qualidade é muito maior”, diz.

O pesquisador da Embrapa Luiz Alexandre De Sá concorda sobre os riscos da contaminação de agrotóxicos e relata que há muitas pragas e doenças que necessitam de controle para a produção de alimentos via agropecuária no mundo. “[o uso de agrotóxicos] deve ser bem planejado, com pesticidas seletivos e tecnologicamente aceitáveis”, afirma.

Como reduzir os agrotóxicos dos alimentos

A boa higienização caseira dos alimentos pode diminuir a ingestão de agrotóxicos. Para isso, Luana Marchi orienta deixar as frutas e legumes de molho em solução de hipoclorito de sódio, popularmente conhecida como água sanitária, por cerca de 10 minutos e logo após enxaguar em água corrente.

“Retirar cascas e folhas externas de verduras também ajuda na redução dos resíduos de agrotóxicos e eliminação de micro-organismos resistentes”, indica a nutricionista.

Agrotóxicos nos alimentos

Segundo um relatório publicado pela Anvisa em 2016, cerca de um terço dos vegetais mais consumidos no Brasil apresentaram um nível de agrotóxico acima do aceitável. Foram analisadas quase 2.500 amostras de 18 tipos de alimentos pelo Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos de Alimentos, da Anvisa.

Entre os critérios do levantamento estavam a análise da presença de agrotóxicos acima do nível permitido, e a presença de agroquímicos não autorizados para o tipo de alimento.

Lista dos alimentos com mais agrotóxicos
Lista dos alimentos com mais agrotóxicos.

A batata foi o único vegetal examinado que não apresentou nenhum lote contaminado. Em compensação, praticamente todas (91,8%) as amostras de pimentão apresentavam agrotóxicos acima do permitido. 

Morango, pepino e alface também estavam entre os itens mais contaminados, apresentando irregularidades em mais de 50% dos lotes examinados.

Contaminação por agrotóxicos

Além da contaminação por ingestão, há a exposição de agrotóxicos no ar que pode afetar a saúde de pessoas próximas das zonas rurais. Com o intuito de minimizar esse tipo de contaminação, empresas como a Bayer têm desenvolvido novos tipos de pulverizadores. 

Henrique Lemos, coordenador de tecnologia e aplicação da Bayer, explica que quanto mais concentrada a saída do pulverizador, menor o nível de deriva, distribuindo melhor o produto na área desejada, sem espalhar para fora da zona de plantio.

Comida Orgânica

Comida orgânica é o termo que se se dá aos alimentos que são manufaturados e que, desde o cultivo, seguem uma série de parâmetros que definem o que pode ser considerado um alimento orgânico.

A produção de alimentos orgânicos é caracterizada por não utiliza agrotóxicos, transgênicos, pesticidas e fertilizantes sintéticos. Além de serem mais saudáveis para o nosso organismo, também ajudam a preservar os recursos naturais, e saúde de quem trabalha na agricultura.

Como saber se um alimento é orgânico de verdade

Para ser devidamente comercializado como orgânico,  os produtos devem ser certificados por uma certificadora credenciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que garante as normas e práticas de produção, e pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).

Selo para produtos orgânicos certificados.
A certificação é identificada no produto orgânico por este selo, impresso na embalagem do produto.

O certificado assegura por escrito que determinado produto, processo ou serviço, obedece às normas e práticas da produção orgânica.

Diferença entre comida Orgânica e Natural

Chama-se de comida natural os alimentos em seu estado mais natural possível, não alterados quimicamente ou sintetizados, de origem vegetal ou animal. Ou seja, a comida natural é a comida não processada, mas a comida natural não é necessariamente orgânica, e vice versa. De qualquer forma, ambas são alternativas interessantes para se livrar de agrotóxicos.

0 Comentários

Tags mais acessadas