A importância das algas para a vida na Terra
Menu & Busca
A importância das algas para a vida na Terra

A importância das algas para a vida na Terra

Home > Notícias > Urbano > A importância das algas para a vida na Terra

As algas, antes de mais nada, deram origem aos vegetais terrestres. Por antecederem as plantas, foram responsáveis pela estruturação da atmosfera tal como a conhecemos, o que possibilitou a vida sobre a superfície da Terra de todos os seres vivos aeróbicos. Em lugares inóspitos, as algas azuis e verdes, especificamente, atuaram e atuam como “espécies pioneiras” devido à sua pequena exigência nutricional e à capacidade de realizar fotossíntese e de aproveitar o nitrogênio atmosférico.

A maioria das algas habita o mar e a água doce. Nesses ambientes, podem constituir comunidades conhecidas como fitoplâncton, microalgas que flutuam livremente na água, ou fitobentosalgas que são fixas no solo. No entanto, existem espécies que podem ser encontradas no meio terrestre, em rochedos, barrancos e troncos de árvores na forma de líquens, desde que não falte umidade. Ambientes com grandes quantidades desses organismos, geralmente, são pouco impactados, o que significa que as algas são indicadoras naturais de poluição.

algas
Entenda a importância das algas para a vida na Terra. | Foto: Getty Images.

 A importância das algas para a vida

As algas marinhas têm um grande papel no ecossistema tanto aquático quanto terrestre. Os fitobentos, em conjunto com os recifes de corais, servem de abrigo e refúgio para inúmeras espécies. O fitoplâncton é fonte de alimento para o zooplâncton, microrganismos heterótrofos, que, por sua vez, são a base da alimentação de animais maiores. Além de ser o produtor dessa cadeia alimentar, o fitoplâncton é responsável por uma grande produção de oxigênio. Ao contrário do que muitos pensam, não são as florestas o pulmão do mundo, mas, sim, as algas, que são responsáveis pela produção de 54% do oxigênio do mundo, segundo dados do Instituto Brasileiro de Florestas.

As algas também são importantes economicamente para o Homem, sendo amplamente usufruídas pelas indústrias alimentícias, químicas e farmacêuticas. Certas algas, como se sabe, fazem parte do cardápio humano, como a kombu e a nori, esta última utilizada na preparação de sushis. Por serem ricas em iodo, sais minerais e vitaminas do complexo B, previnem doenças, como o hipertireoidismo.

Os polissacarídeos de algas marinhas, como ágar, carragenana e alginatos, são bastante explorados comercialmente. O ágar é empregado na fabricação de gomas, laxantes ou, ainda, como meio de cultura para bactérias. A carragenana é usada, principalmente, nas indústrias de laticínios e embutidos, na fabricação de gelatinas e geleias, e na produção de tintas e cosméticos. Os alginatos estão entre os curativos de escolha para as feridas que produzem exsudato – líquido oriundo da reação a danos nos tecidos e vasos sanguíneos – moderado ou abundante e estão presentes na composição de diversos alimentos e bebidas industrializadas.

Devido à presença de nitrogênio e potássio em sua constituição – minerais essenciais ao desenvolvimento das plantas –, muitas espécies de alga podem ser usadas como adubo natural ou servir de matéria-prima para a fabricação de fertilizantes. Além da ampla utilização em quase todos os setores industriais, estuda-se utilizar as algas como biocombustível, sobretudopor crescerem rápido, apresentarem alto rendimento e por não necessitarem grande extensão para o cultivo. No entanto, existem várias barreiras técnicas que ainda têm que ser ultrapassadas para que este tipo de matéria-prima possa ser utilizada de forma economicamente viável.

As algas apresentam inúmeras aplicações, como visto, e ainda existem tantas outras que nem foram citadas aqui. Se forem potencializados, portanto, os recursos científicos, tecnológicos e financeiros, muito mais propriedades poderão ser aproveitadas. Um organismo tão simples é um dos maiores responsáveis pela vida de seres bem mais complexos. Por isso, é necessário um olhar atento para o meio ambiente e a preservação das florestas e dos mares, pois precisamos deles para respirar e viver. 

________________________________
Por Natália Tavares Leite Vieira – Fala! Cásper

Tags mais acessadas