​Estágio: guia para não perder as melhores oportunidades do mercado
Menu & Busca
​Estágio: guia para não perder as melhores oportunidades do mercado

​Estágio: guia para não perder as melhores oportunidades do mercado

Home > Universidades > ​Estágio: guia para não perder as melhores oportunidades do mercado

Nem tudo são flores na vida de um universitário brasileiro. Com o aumento de ingressantes em instituições de ensino superior e a diminuição da oferta de empregabilidade pelas empresas, as tarefas de um estagiário deixaram de ser, há muito tempo, apenas entregar cafés e fazer massagem nos pés do seu chefe. O mercado está cada vez mais exigente em relação às tarefas e aptidões dos seus pequenos pupilos. Desse modo, apenas os profissionais mais aptos e informados conseguem uma vaga de estágio em empresas renomadas. É por isso que essa matéria vai te explicar todas as informações necessárias para não perder as oportunidades de estágio e se tornar a próxima estrela da Faria Lima.

O ensino médio costuma ser terrível para a maioria dos adolescentes: escolher uma carreira para trilhar com apenas 17 anos, estudar disciplinas que não são do seu agrado, lidar com julgamentos sobre o que as pessoas pensam de você, tudo isso em meio a mudanças na forma de ver construções de mundos em constante colisões destrutivas. Mal sabem eles que passar no vestibular e ingressar em uma instituição de ensino superior são apenas pontapés iniciais para o começo de uma vida adulta de pequenos prazeres, como atingir sua independência financeira e emocional, mas também de grandes responsabilidades, como o famoso “pagar os boletos”.

Nessa grande catástrofe “climática”, chamada faculdade, o terror de qualquer estudante é entrar no olho do furacão, chamado estágio; este que parece uma cerimônia de coroação da vida adulta. Afinal, trabalhar e vislumbrar o mercado de trabalho da área que sempre almejamos parece um primeiro farol para qualquer jovem perdido que deseja se encontrar e conquistar sua estabilidade profissional, não é mesmo? 

estágio
Confira tudo sobre estágio. | Foto: Reprodução.

O que é um estágio?

Se você é um jovem que está morando em uma caverna escura longe da sociedade, é preciso entender primeiramente o que é um estágio para depois conseguir uma vaga. Nada melhor para explicá-lo como a definição dada pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano: “Entende-se estágio como uma atividade curricular supervisionada que compõe o processo de formação do estudante, integrante das dimensões do ensino, pesquisa e extensão, constituído por ações que o discente realiza junto a pessoas jurídicas de direito público ou privado, ou na comunidade em geral, que articulam teoria e prática”.

Lembrando também que o estágio pode se conformar como obrigatório: supervisionado e indispensável para cumprir as horas necessárias à obtenção do diploma; não obrigatório: ou seja, não necessário para se formar, facultativo apenas às necessidades e escolhas de cada estudante; remunerado e, por fim, não remunerado.

Entendido o que é um estágio, outra pergunta vem à mente: quais os benefícios de realizá-lo?

Benefícios do estágio

Certamente, estagiar permite colocar em prática toda a teoria ensinada em sala de aula e visualizar exatamente os mecanismos de funcionamento do mercado de trabalho de cada profissão, possibilitando ao estudante adquirir experiência profissional essencial ao bom exercício da profissão. Imagine uma situação hipotética: médicos recém-egressos do ambiente acadêmico, cheio de conceitos científicos de fisiologia e anatomia na cabeça, que, entretanto, não realizaram o internato, uma espécie de estágio. Esses que foram acionados a realizar uma cirurgia de alto risco em um paciente no hospital, sem nunca nem mesmo terem pego em um bisturi. O que esse evento iria se tornar? Com certeza, um açougue de cortes finos aprendidos com base em teorias científicas vistas em aula, e não colocadas em prática.

Além disso, estagiar pode ser uma válvula para continuar a graduação, seja pelo incentivo financeiro em estágios remunerados (quem não gosta de um dinheirinho no final do mês para comprar algo?); seja pela convivência diária com a carreira, às vezes distante e apagada nas abstrações conceituais e acadêmicas da universidade.

Cumpra seus deveres, exija seus direitos!

Segundo a “Lei do estágio”, os estagiários e empregadores têm uma série de direitos e deveres a serem cumpridos para que a relação de trabalho se apresente de forma saudável. Nesse sentido, o período de contratação em uma mesma empresa deve ser, no máximo, de 2 anos e a carga horária de um estagiário deve ser de até 6 horas diárias, totalizando 30 horas semanais, o que pode ser reduzida pela metade em dias de avaliação na instituição de ensino.

Além disso, o estagiário terá acesso ao seguro contra acidentes pessoais durante o trabalho; auxílio-transporte, quando o estágio é obrigatório; recesso remunerado de 30 dias; 10% de vagas reservadas a deficientes; sendo que em caso de qualquer umas dessas obrigatoriedades não forem realizadas, o contratante poderá ser penalizado em até 2 anos sem permissão de contratar novos estagiários.

Uma vez cumprido o seu trabalho de forma eficiente e adequada à lei, exija seus direitos e não se cale diante de injustiças exploratórias! Não estamos mais trabalhando em fábricas insalubres do século XIX industrial. Qualquer tipo de abuso empregatício deve ser denunciado à coordenadoria de estágios de sua faculdade.

​Como conseguir um estágio?

​O modo como você se porta no mundo será o reflexo observado pela empresa na hora da contratação, sendo ele muito importante, por isso, para conseguir uma vaga. Infelizmente, sabemos que o mercado de trabalho ainda carrega diversos estigmas sociais em relação às pessoas que não performam os valores normativos impostos na sociedade. No entanto, expressar uma excelente habilidade comunicacional escrita e falada, apresentar uma ótima relação interpessoal e ter muita vontade de aprender podem ser fatores para contornar essa situação e se destacar em entrevistas. 

Outro aspecto que pode te ajudar a alcançar o tão sonhado estágio é o leque de oportunidades oferecidas pelo mundo virtual. Sites como LinkedIn e CIEE são ótimas maneiras de se manter atualizado sobre novas vagas que aparecem no mercado disponíveis para candidatura. Ademais, ter um perfil bem construído no LinkedIn é sinônimo de expor às grandes e melhores empresas o seu “eu”, fazendo com que se interessem pela sua trajetória acadêmica e profissional.

Você também já deve ter ouvido a seguinte fala: “Fulano conseguiu aquele emprego porque tinha contatos dentro da empresa”. Essa frase, por mais errada que pareça, não está completamente incorreta. Se você for filho(a) do dono da empresa, com certeza, estará à frente de muitos outros profissionais igualmente competentes.

Por outro lado, se  assim como 99% da população mundial, você for um mero mortal, existe outro caminho: o networking produzido ainda no período da universidade. O conjunto de relações amistosas e salutares desenvolvidas com seus colegas de curso pode te favorecer no futuro. Isso porque se o seu amigo conseguir um emprego em uma boa empresa, por exemplo, e futuramente ela precisar contratar um novo estagiário, certamente ele estará pronto para te indicar ao cargo. 

​Por fim, seja “cara de pau”! Mande e-mails para empresas do seu interesse, bata de porta em porta entregando seu currículo, peça ajuda a seus amigos que já estão inseridos no mercado e não tenha medo de receber um não. Já pensou se Gisele Bündche tivesse desistido da carreira de modelo na primeira tentativa?

Não tenho experiência profissional, e agora?

Muitos estudantes caem no paradoxo universitário de buscar o primeiro emprego sem ter experiência e o requisito principal da vaga é justamente ter experiência. É possível, sim, sair dessa situação e não cair de vez no limbo do desemprego.

Geralmente, as universidades, sobretudo públicas, não permitem estágio logo no primeiro período, já que o conhecimento do estudante ainda é muito embrionário. Na Universidade Federal de Minas Gerais, por exemplo, para os cursos de comunicação social, o estágio obrigatório somente é creditado como carga horária para se formar no terceiro período. Dessa forma, pode-se buscar por alternativas nesse meio tempo para adquirir experiência profissional e formativa.  

Na própria universidade, corra atrás de vagas em iniciações científicas remuneradas; envolva-se em projetos voluntários promovidos pela faculdade; entre em empresas juniores, as quais não cobram, em geral, experiência; engaje-se em movimentos de representação estudantil; aprimore suas habilidades teóricas; estude por conta própria assuntos da sua área que não são abordados no curso, através de cursos renomados presentes em plataformas on-line, como a Udemy.

Lembre-se também que o que é produzido por você pode ser usado como portfólio para o contratante te visualizar através dos seus trabalhos e experiências universitárias, logo, faça sempre tudo com zelo e dedicação. Toda a sua vivência enquanto indivíduo social será analisada, o que não necessariamente representa a experiência tradicional de trabalhar em uma empresa, use-a em seu favor!

​Agora que você aprendeu tudo sobre estágio e dicas valiosas, coloque-as em prática e você se sairá melhor do que a maioria dos estudantes! Corra atrás dos seus sonhos, com muita dedicação e força de vontade, será possível trilhar os primeiros passos para um caminho brilhante de sucesso profissional. Voe mais alto que os arranha-céus corporativos da Avenida Brigadeiro Faria Lima em São Paulo e ganhe o mundo. 

___________________________
Por Zyon Alcardi – Fala! UFMG

Tags mais acessadas