Home / Colunas / 8ª Mostra SP de Fotografia na Vila Madalena

8ª Mostra SP de Fotografia na Vila Madalena

Por Fernanda Antônia Bernardes – Fala! M.A.C.K

 

Organizado por Mônica Maia e Fernando Costa Netto, fotógrafos da DOC Galeria, a 8ª Mostra SP de Fotografia teve início no último sábado, 21, e leva o tema “Fronteiras” em fotografias espalhadas por muros do bairro Vila Madalena. A mostra exibe registros de trinta e oito profissionais selecionados por quatorze profissionais curadores, jornalistas, editores e fotógrafos.

O objetivo dessa edição é debater sobre perspectivas perante fronteiras. O significado desse termo, no entanto, é estendido. “A gente trabalhou o tema da forma mais ampla possível, não só no sentido literal da palavra. Da guerra ao gênero”, diz Costa Netto.

Na mostra, há registros que expõem referências de conflitos no Oriente Médio, como o “Síria”, de Gabriel Chaim, fotógrafo especializado em guerras e crises humanitárias. Também há o trabalho de Bárbara Cunha, uma série fotográfica que acompanha uma menina trans desde a infância e, dessa forma, fala sobre as fronteiras existentes dentro de uma família.  O premiado “Fátima” de Isabella Lavane, que se encontra na rua Aspicuelta, no estacionamento da loja Fernanda Yamamoto, e mostra o olhar da profissional sobre sua mãe, que tem transtorno bipolar, e as fronteiras existentes na relação entre as duas.

A espectadora Débora de Paula Souza, psicanalista, leu sobre o evento no Facebook e compareceu acompanhada da amiga Mônica Nunes, jornalista. De acordo com ela, a proposta da mostra é cativante pela ótima qualidade do material e também pela originalidade. “É uma estética reveladora, colorida e aconchegante”, diz sobre a série Ver Dentro de Marcos Freire, um dos trabalhos que mais capitou sua atenção.

A exposição dos registros do estadunidense David Alan Harvey, da iraniana Newsha Tavakolian, e o trabalho conjunto da espanhola Cristina de Middel com o carioca Bruno Morais celebram o aniversário da Agência Magnum, fundada há 70 anos pelos fotógrafos Robert Capa, Henri-Cartier Bresson, David Chim, George Rodge e William Vandivert.

A mostra também conta com a pareceria com a Casa #hellocidades, da Motorola, principal patrocinadora do evento. O espaço cultural será responsável pela realização de debates, oficinas, visitas guiadas e saídas fotográficas durante o período da mostra. Os fotógrafos Cássio Vasconcellos, Renato Gaiofato, Ivana Debértolis, Roberto Wagner e Toni Pires foram convidados para fazer fotografias utilizando a câmera de smartphones Motorola e expor os resultados na mostra.

Fotografia de Ivana Debértolis feita com a câmera do MotoX4, disposta no muro do Ô Casual Bar, na rua Harmonia, Vila Madalena

 

OS FOTÓGRAFOS

Ana Carolina Fernandes

Fotojornalista desde os 19 anos, o registro da carioca Ana Carolina Fernandes é um dos mais marcantes da mostra. A fotografia “Burning Bus”, tirada durante a greve geral do Rio de Janeiro, em abril deste ano, ficou entre os 21 finalistas no Magnum Photography Awards. É justamente essa foto que esta exposta na rua Patizal, no muro do SP Tap House.

Ariel Carlomagno

De acordo com a entrevista feita pela equipe Motorola com o argentino Ariel Carlomagno, disponível neste link, o profissional acredita que viajar é uma forma de romper fronteiras, pois é a oportunidade de conversar diretamente com os povos sobre suas realidades. Dessa forma, sua intenção é registrar sobre os mais diversos povos do mundo a partir de seus próprios gestos, palavras e expressões, sem a manipulação da mídia. A série ÁFRICA do fotógrafo encontra-se na Casa #hellocidades. Todas as fotos foram feitas com smartphones Motorola.

David Alan Harvey

A foto escolhida para a mostra na rua Harmonia faz parte do livro Beach Games, de fotografias feitas no Rio de Janeiro pelo norte-americano David Alan Harvey. O registro é um dos que homenageiam a Magnum, já que o fotógrafo faz parte da agência. Nessa imagem, a linguagem fotográfica propõe um discurso sobre as fronteiras do real e do fictício.

Cristina de Middel e Bruno Morais

A imagem que ilustra o pôster da mostra se chama Exu Smokes Backwards e também é uma homenagem ao aniversário da agência Magnum. Fruto da parceria da espanhola Cristina de Middel, da agência, e do carioca Bruno Morais, Enxuegguá é sobre derrubar fronteiras culturais e espirituais. Mais precisamente, é sobre o orixá Exu, do candomblé. Um ensaio que ainda esta em desenvolvimento e que capta imagens de Cuba, Benin, Haiti e Brasil e reconhece a força e importância da grande África e das raízes das entidades africanas.

A 8ª Mostra SP de Fotografia dura até o dia 18 de novembro e a lista completa dos fotógrafos e pontos de exposições consta na página do Facebook.

 

Confira também:

– Conheça o Espaço Higienópolis, que conta com sarau, gincanas e república para jovens universitários

– Conheça as Guerrilla Girls, grupo feminista que denuncia através da arte

Confira também

Quadros de um país – exposição no Itaú Cultural retrata a história do Brasil

Por Renan Dantas – Fala! M.A.C.K   Vislumbrar a história do Brasil por meio de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *